Detroit, Texas e Califórnia

autor: Junior da Violla

O blues de Detroit
 
     Um blues local emergiu em Detroit a partir dos anos 20 ao redor do bairro negro e das tabernas de Hastings Street mas a ausência de produtores e de estúdio, como outras regiões obrigou os músicos locais a migrarem para Chicago. A reativação do blues neste local se deu após a Segunda Guerra Mundial quando um grande fluxo de negros desembarcou na cidade para trabalhar nas fábricas de automóveis da região. Mas ao contrário de Chicago, a produção de discos de blues nesta região ficou a cargo de pequenos produtores, com estúdios de má qualidade. O único representante desse blues que venceu as barreiras da região é o bluesman John Lee Hooker.

 


O blues do Texas
 
     Enquanto os blues rurais do delta e da costa leste praticamente cessaram de ser explorados comercialmente em sua forma inicial depois da guerra, o blues do Texas conseguiu conhecer um novo impulso: a guitarra de baixos apoiados e de arpejos de Blind Lemon Jefferson e seus sucessores que se adaptavam bem á amplificação elétrica e que até mesmo sublinhava melhor todas as sutis inflexões desse toque econômico. Uma vez mais o Texas e os estados vizinhos retiveram por mais tempo que as outras regiões as antigas tradições do blues. São grandes nomes desse gênero Lightnin' Holpkins, Lil' son Jackson, Smokey Hogg, Frankie Lee Sims

 


O blues da Califórnia
 
     A ocupação negra na Califórnia se deu a partir da década de 40, até ali havia apenas uma população bem reduzida de negros. A indústria trouxe negros para Oakland e Los Angeles. A influência do blues do Texas era mais viva e a partir de 1948, 1950 foram traçadas as grandes linhas desse estilo californiano: proeminência da guitarra elétrica como instrumento solista mas no meio de um importante conjunto musical compreendendo uma forte linha de metais á maneira das grandes orquestras de swing de Kansas City, uma presença forte do piano e sobretudo a adaptação sutil da tradição texana ( o guitarrista mantém o toque em arpejos mas suprime os efeitos de baixo, doravante assegurados pela orquestra ). A linha melódica se desenvolveu de modo contínuo: de alguma forma, Blind Lemon Jefferson revisto por Lonnie Johnson, cuja influência  indireta sobre esse blues é inegável. Apesar de suas origens rurais, esse blues da Califórnia é uma música extremamente urbana e sofisticada.
     Em torno de Los Angeles a música negra tomou um caráter mais elaborado. Ainda ai a influência das grandes correntes de Kansas City foi importante, da mesma forma que, apesar das aparências, a da tradição pianística texana, profundamente amenizada e urbanizada, é claro. Todavia, a influência dominante desse blues da Califórnia do Sul parece ter sido o pianista e cantor de jazz e de baladas Nat King Cole. Grandes nomes do blues da Califórnia são Charles Brown, T-Bone Walker, Lowell Fulson, Roy Milton, Lafayette Thomas, Johnny Heartsman, Jimmy Mac Cracklin, Lloyd Glenn, Cecil Gant, Jimmy Wilson.

O sucesso deste projeto só se dá graças ao empodeiramento feito pela iniciativa Pulsar da Curadoria Social